Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/588017a97f8c9d0a098b4838
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Condições de Trabalho e Satisfação de Cirurgiões-Dentistas Credenciados por Convênios Odontológicos

Working conditions and satisfaction of dentists accredited to dental assistance plans

Garcia, P.P.N.S.; Cobra, C.S.

Downloads: 5
Views: 406

Resumo

O presente trabalho objetivou analisar, mediante a aplicação de questionário, as condições de trabalho e o nível de satisfação de 150 cirurgiões-dentistas credenciados por convênios odontológicos. Os resultados mostraram que, para 33,3% dos profissionais, o motivo do credenciamento foi a procura por maior número de clientes; 31,1% dos profissionais analisados estavam satisfeitos com a empresa conveniada; 48% relativamente satisfeitos e 10% insatisfeitos, sendo o principal motivo da insatisfação para 47,9% dos indivíduos o valor pago pelos serviços prestados. Quando questionados sobre a condição de trabalho do cirurgião-dentista com o surgimento dos convênios, aproximadamente metade da amostra (47,3%) relatou piora. Verificouse que, para 57,3% dos cirurgiões-dentistas, não havia limite para os procedimentos executados e para 66% também não havia limitação para o valor do orçamento. A média de atendimento de quatro a seis pacientes conveniados por dia foi a que apresentou maiores porcentagens (36,7%). Mediante a metodologia aplicada, pôde-se concluir que: o aumento do número de pacientes do consultório foi o principal motivo alegado para o credenciamento; grande parte dos profissionais não estava completamente satisfeita com a empresa a que estava conveniada, principalmente pelos baixos valores pagos pelos serviços; que as condições de trabalho do cirurgião-dentista foram pioradas com o surgimento dos convênios.

Palavras-chave

Convênios, credenciamento, odontologia

Abstract

The purpose of this study was to analyze the working conditions and level of satisfaction of 150 dentists accredited by dental health maintenance organizations (DHMOs), based on their responses to a questionnaire. The results indicated that 33.3% of the professionals joined a DHMO to get more patients, and that 31.1% of the accredited professionals were satisfied, 48% were relatively satisfied, and 10% were dissatisfied with the DHMO. The main reason for the dissatisfaction of 47.9% of the individuals was the low fees paid for their services. 47.3% of the dentists stated that their working conditions worsened after the advent of the DHMOs. 57.3% stated the DMHO does not establish limits for dental procedures, while 66% said their DHMO does not establish budget limitations. 36.7% of the dentists stated they treat 4 to 6 DHMO-related patients per day. Based on the methodology applied here it can be concluded that the main reason for joining the DHMO was to increase the number of patients; a considerable proportion of the professionals were dissatisfied with their DHMO, mainly because of the low fees paid for their professional services; and the working conditions of dentists worsened with the advent of the DHMOs.

Keywords

Joint ventures, credentialing, dentistry

References



1. Andrade M. Convênio vale a pena? [Citado 2004 Jun 20]. Disponível em: http://www.jornaldosite.com.br/arquivo/ anteriores.servico4.htm.

2. Assada RM. A Realidade dos convênios. [Citado 2004 Jun 20].Disponível em: http://www.jornaldosite.com. br/arquivo/anteriores/artricardo63.htm.

3. Assada RM. Paradoxos das leis dos planos de saúde. [Citado 2004 Jun 20]. Disponível em: http:// www.jornaldosite. com.br/arquivo/anteriores/artricardo7.htm.

4. Belardinelli VH. Clínica particular, necessidade e possibilidade de fazê-la crescer: os convênios. Odontol Mod. 1987; 14(2): 37-48.

5. Castro M. Convênios odontológicos x convênio médicos. [Citado 2004 Jun 20]. Disponível em: http://www.jornaldosite. com.br/arquivo/anteriores/marketing7.htm.

6. Chiarato D. Convênios jogam dentistas contra dentistas. J Assoc Paul Cir Dent. 1999; 34(510): 26.

7. Falcão AFP, Ribeiro PCA, Silva CAL, Cruz RCW. Avaliação do grau de satisfação dos credenciados a planos odontológicos. Rev Cons Odontol Pernambuco. 2001; 4: 107-6.

8. Ferreira RA. O valor da saúde bucal nas empresas. Rev Assoc Paul Cir Dent. 1995; 49: 96-107.

9. Ferreira RA. O “milagre” da multiplicação dos cursos. Rev Assoc Paul Cir Dent. 1997; 51: 310-8.

10. Grec W. Acabaram-se os desmandos dos convênios odontológicos. [Citado 2004 Jun 20]. Disponível em: http://www.cfo.org.com.br/jornal/n27/hpconv.htm.

11. Grec W, Daruge E, Daruge Jr E. Aspectos éticos e legais no atendimento odontológico por convênios. [Citado 2004 Jun 20]. Disponível em: http://www.ibemol.com. br/forense1998/10.asp.

12. Grec W. Apostando numa nova relação com convênios e credenciamentos. J CFO. 1999; 7(27): 8-9.

13. Grec W. Como conviver com a nova realidade dos convênios. J Assoc Paul Cir Dent. 1999; 33(505): 24.

14. Montenegro F. Convênios: um alerta aos profissionais. J Assoc Paul Cir Dent. 1999; 33(502): 30-2.

15. Oliveira RN, Oliveira Jr OB. Honorários profissionais: sua importância no contexto do consultório odontológico. Odontologia e Sociedade. 1999; 1: 51-4.

16. Ribeiro AI. Problemas da odontologia na passagem para o próximo século. JAO. 2000; 3(18): 9-13.

17. Ribeiro FJ. A odontologia no setor saúde – contribuições. Rev Bras Odontol. 1983; 2: 7-14.

18. Serra MC, Henriques C. Participação de cirurgiões-dentistas em empresas de odontologia de grupo. Rev ABO Nac. 2000; 8: 80-5.

19. Silva AA. O mercado de trabalho odontológico. JAO. 2000; 3: 17-22.
588017a97f8c9d0a098b4838 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections