Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/60491b12a953955ee4247ca3
Revista de Odontologia da UNESP
Congress Abstract

As próteses sobre implantes podem influenciar na qualidade do hálito dos pacientes?

Giovana Dornelas Azevedo ROMERO, Paulo Augusto PENITENTE, João Paulo do VALE, Daniela Micheline dos SANTOS, Marcelo Coelho GOIATO

Downloads: 0
Views: 57

Resumo

A halitose é definida como uma alteração patológica na respiração. Cerca de 90% dos casos, o mau odor tem origem na cavidade bucal. Dentre os fatores predisponentes de origem bucal pode-se citar ser: presença de cárie, língua saburrosa, próteses mal adaptadas, xerostomia, doenças periodontais, componentes protéticos, necrose tecidual e processos endodônticos. A literatura apresenta poucos estudos que façam a correlação entre a halitose e o uso de diferentes tipos de próteses implantossuportadas. Sendo assim, o objetivo do trabalho foi avaliar a influência dos diferentes tipos de prótese sobre implante como também o período sobre o hálito do indivíduo. Foram selecionados 48 pacientes divididos em 4 grupos: Grupo 1 (próteses unitárias); Grupo 2 (próteses fixas múltiplas); Grupo 3 (prótese tipo overdenture); Grupo 4 (próteses fixas do tipo protocolo). Todos os grupos tiveram n=12. A mensuração da halitose foi feita através do halímetro (FitScan Breath Checker – Tanita). O hálito dos pacientes foi mensurado antes da colocação do cicatrizador, 30 dias após, no momento de instalação da prótese definitiva e 30 dias após a instalação da mesma. Os níveis de halitose foram maiores em todos os aspectos no Grupo 4 e, sendo assim o cirurgião dentista tem papel fundamental na orientação nas medidas de autocuidado e investigar fatores que estão intrínsecos nesta condição clínica.

Palavras-chave

Halitose; prótese dentária; implante dentário.
60491b12a953955ee4247ca3 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections