Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/5df3ce6c0e8825372773a14b
Revista de Odontologia da UNESP
Congress Abstract

Cimento de ionômero de vidro associado ao diacetato de clorexidina ou às nanopartículas de óxido de zinco: Avaliação microbiológica.

Rafael Amorim MARTINS, Ana Carolina Oliveira BECCI, Elisa Maria Aparecida GIRO, Alessandra Nara de Souza RASTELLI, Luana Mafra MARTI, Angela Cristina Cilense ZUANON

Downloads: 0
Views: 30

Resumo

Streptococus mutans possui boa capaciadade de adesão aos tecidos dentais e aos materiais restauradores como o cimento de ionômero de vidro (CIV) e para potencializar efeitos antibacterianos do CIV tem-se utilizado a clorexidina (CLX), que possui amplo espectro contra pátogênos da cavidade bucal, baixa toxicidadade, é facilmente incorporada ao CIV e liberada posteriormente na cavidade bucal. E as nanopartículas, formuladas a partir de metais como o Óxido de Zinco (ZnO) apresentam boa atividade antibacteriana e eficácia para reduzir biofilmes. Avaliou-se a atividade antibiofilme, atividade metabólica do biofilme e a análise qualitativa da aderência e formação do biofilme sobre o CIV associado às nanopartículas de óxido de zinco (NPZnO) a 2% ou ao diacetato de CLX nas concentrações de 0,5%, 1% e 2%. A atividade antibiofilme (n=10 por grupo) foi avaliada para biofilme monoespécie de S. mutans, em incubação por 1, 7, 14 e 21 dias. Realizou-se contagem das unidades formadoras de colônia por mililitro (UFC/mL), a atividade metabólica do biofilme (n=5 por grupo) por meio do teste XTT, e a observação da aderência em microscopia eletrônica de varredura (MEV) (n=5 por grupo) nos períodos de 1 e 7 dias. Os dados apresentaram normalidade e homogeneidade e realizou-se análise paramétrica de variância (ANOVA) para verificar diferença estatística, seguida pelo teste de Tukey (nível de significância de 5%). Nas primeiras 24 h todos os grupos apresentaram redução da atividade metabólica do biofilme em relação ao controle e após 7 dias apenas a CLX 1% conseguiu manter essa redução. A atividade antibiofilme foi aumentada no 14º dia de avaliação para os grupos de CLX a 1% e 2%. A MEV demostrou a aderência e formação de biofilme de S. mutans sobre a superfície dos espécimes no primeiro e sétimo dia de experimento. Conclui-se que o diacetato de CLX a 1% foi o material com resultados antibacterianos mais promissores em associação com o CIV.

Palavras-chave

Cimentos de ionômero de vidro; Clorexidina; Nanopartículas
5df3ce6c0e8825372773a14b rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections