Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/588018cd7f8c9d0a098b4e1c
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Occurrence of dental caries and associated factors in children from 24 to 60 months living in areas covered by the Family Health Program, Salvador - BA, 2008

Ocorrência de cárie dentária e fatores associados em crianças de 24 a 60 meses residentes em áreas cobertas pelo Programa Saúde da Família, em Salvador - BA, 2008

Almeida, Tatiana Frederico de; Couto, Milena Carneiro; Oliveira, Mônica Sueli; Ribeiro, Marlos Barbosa; Vianna, Maria Isabel Pereira

Downloads: 1
Views: 874

Abstract

Objective: To determine the prevalence, severity and family environmental factors associated with dental caries in preschool children in areas covered by the Family Health Program in Salvador - BA. Methodology: A cross-sectional study in five areas covered by the Family Health Program, carried out from July to October 2008 with children from 24 to 60 months of age. Data were collected through interviews with mothers and oral examination of their children. Descriptive exploratory analysis of potential factors associated with caries were carried out. Result: Of 472 children examined, 52% were female. The prevalence of caries was 38.02% and dmf-t was 1.15. The socioeconomic and behavioral characteristics of the family had a statistically significant association with caries (p < 0.05). None of the maternal psychosocial alterations associated with caries (p > 0.05). Conclusion: The occurrence of dental caries is still frequent in young children in Salvador, and it’s related to the family way of life.

Keywords

Family, dental caries, oral epidemiology, preschool children

Resumo

Objetivo: Determinar a prevalência, a gravidade e os fatores do contexto familiar associados à cárie dentária em crianças pré-escolares, em áreas do Programa Saúde da Família de Salvador - BA. Metodologia: Estudo de corte transversal, realizado em cinco áreas cobertas pelo Programa Saúde da Família, de julho a outubro de 2008, com crianças de 24 a 60 meses de idade. A coleta foi realizada através de entrevista com as mães e exame bucal dos respectivos filhos. Análises descritivas exploratórias de potenciais fatores associados à cárie foram realizadas. Resultado: Das 472 crianças examinadas, 52% pertenciam ao gênero feminino. A prevalência de cárie foi 38,02%, sendo o ceo-d igual a 1,15. Características socioeconômicas e comportamentais apresentaram associação estatisticamente significante com a cárie (p < 0,05). Nenhuma das alterações psicossociais maternas associou-se com a cárie (p > 0,05). Conclusão: A ocorrência da cárie dentária é frequente em crianças de pouca idade em Salvador e relaciona-se ao modo de vida da família.

Palavras-chave

Família, cárie dentária, epidemiologia em saúde bucal, pré-escolares

References



1. Lucas SD, Portela MC, Mendonça LL. Variações no nível de cárie dentária entre crianças de 5 e 12 anos em Minas Gerais, Brasil. Cad Saúde Pública. 2005; 21(1): 55-63.

2. Bardal PAP, Olympio KPK, Valle AAL, TomitaNE. Cárie dentária em crianças como fenômeno natural ou patológico: ênfase na abordagem qualitativa. Ciência e Saúde Coletiva. 2006; 11(1): 161-7.

3. Robles ACC, Grosseman S, Bosco VL. Satisfação com o atendimento odontológico: estudo qualitativo com mães de crianças atendidas na Universidade Federal de Santa Catarina. Ciência e Saúde Coletiva. 2008; 13(1): 43-9.

4. Lima CMF. Prevalência de cárie e percepção materna sobre a dentição decídua de crianças de três a cinco anos de idade da escola Raimundo Pimentel Gomes, Sobral-CE, em 2004 [monografia especialização]. Sobral: Universidade Estadual do Vale do Acarajú; 2005.

5. Bastos JRM, Peres SHCS, Ramires I. Educação para a saúde. In: Pereira AC, editor. Odontologia em saúde coletiva: planejando ações e promovendo saúde. Porto Alegre: Artmed Editora; 2003. p. 117-39.

6. Assunção WG, Martins da Silva EM, Britto RC, Silva Filho CE. A prevenção de cáries e doenças periodontais através de atividades ludo‑pedagógicas. Rev Odontológica de Araçatuba. 2002; 23(1): 28-32.

7. Prado JS, Aquino DR, Cortelli JR, Cortelli SC. Condição dentária e hábitos de higiene bucal em crianças com idade escolar. Rev Biociênc. 2001; 7(1): 63-9.

8. Thylstrup A, Fejerskov O. Diferentes conceitos da cárie dentária e suas implicações. In: Thylstrup A, Fejerskov O. Cariologia clínica. 2ª ed. São Paulo: Santos; 1995. p. 209-17.

9. Feitosa S, Colares V. Prevalência de cárie dentária em pré-escolares da rede pública de Recife, Pernambuco, Brasil, aos quatro anos de idade. Cad Saúde Pública. 2004; 20: 604-9.

10. Mello TRC, Ferreira Antunes JL. Prevalência de cárie dentária em escolares da região rural de Itapetininga, São Paulo, Brasil. Cad Saúde Pública. 2004; 20: 829-35.

11. Galindo EMV, Pereira JAC, Feliciano KVO. Prevalência de cárie e fatores associados em crianças da comunidade do Vietnã, Recife. Rev Bras Saúde Mater Infant. 2005; 5:199-208.

12. Ribeiro NME, Ribeiro MAS. Aleitamento materno e cárie do lactente e do pré-escolar: uma revisão crítica. J Pediatr. 2004; 80: 199-210.

13. Tanaka K, Miyake Y, Sasaki S. The effect of maternal smoking during pregnancy and postnatal household smoking on dental caries in young children. J Pediatr. 2009; 155: 410-5.

14. Pinto VG. Saúde bucal coletiva. 4a ed. São Paulo: Livraria Editora Santos; 2000.

15. Galindo VAC. Avaliação da influência da educação precoce em saúde bucal e do uso de dentifrícios fluoretados sobre a prevalência de cárie dentária na primeira infância do município de Belém-Pará [dissertação mestrado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da USP; 2003.

16. Seidi EMF, Célia MLCZ. Qualidade de vida e saúde: aspectos conceituais e metodológicos. Cad Saúde Pública. 2004; 20: 580-8.

17. The WHOQOL Group. The development of the World Health Organization quality of life assessment instrument (the WHOQOL). In: Orley J, Kuyren W, editors. Quality of life assessment: international perspectives. Heidelberg: Springer Verlag; 1994. p. 41-60.

18. Souza MAA, Vianna MIP, Cangussú MCT. Disfunção familiar referida pela presença de depressão materna e/ou alcoolismo na família e ocorrência de cárie dentária em crianças de dois e três anos de idade. Rev Bras Saúde Mater Infant. 2006; 6: 309-17.

19. Organização Mundial de Saúde. Levantamento epidemiológico básico de saúde bucal. Manual de instruções. 4a ed. São Paulo: Livraria Editora Santos; 1999.

20. The WHOQOL Group. Development of the World Health Organization Whoqol-bref. Quality of life assessment 1998. Psychol Med. 1998; 28: 551-8.

21. World Health Organization. Division of Mental Health. A user´s guide to self report questionnaire (SRQ). Geneva; 1994.

22. Ewing JA, Rouse BA. Identifying the hidden alcoholic. In: Program and abstracts of the 29th Internacional Congress on Alcohol and Drug Dependence. Sidney, Australia; 1970.

23. Dean, AG, Dean JA, Colombier D. Epi Info: a word processing, database and statistic program for epidemiology on microcomputers. Atlanta, Georgia, USA. Center for Disease Control and Prevention (CDC); 1994.

24. Stata Reference Manual Release 7. College Station: Stata Corporation; 1997.

25. Rozier RG, Pahel BT. Patient – and population – reported outcomes in public health dentistry: oral health – related quality of life. Dent Clin North Am. 2008; 52: 345-65.

26. Ribeiro AG, Oliveira AF, Rosenblatt A. Cárie precoce na infância: prevalência e fatores de risco em pré-escolares, aos 48 meses, na cidade de João Pessoa, Paraíba, Brasil. Cad Saúde Pública. 2005; 21:1695-1700.

27. Almeida TF, Cangussu MCT, Chaves SCL, Silva DIC, Santos SC. Condições de saúde bucal de crianças na faixa etária pré-escolar, residentes em áreas de abrangência do Programa Saúde da Família em Salvador, Bahia, Brasil. Rev Bras Saúde Matern Infant. 2009; 9: 247‑52.

28. Cabral MBBS. Situação de saúde bucal em um grupo de crianças menores de 30 meses que freqüentam creches públicas, privadas e filantrópicas em Salvador-Ba [tese doutorado]. Salvadora: Instituto de Saúde Coletiva da UFBA; 2005.

29. Brasil. Ministério da Saúde. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Resultados principais do projeto SB Brasil 2003: condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003. Brasília; 2004.

30. Barros SG, Alves AC, Pugliese LS, Reis SRA. Contribuição ao estudo da cárie dentária em crianças de 0 a 30 meses. Pesqui Odontol Bras. 2001; 15: 215-22.

31. Baldani MH, Narvai PC, Antunes JLF. Cárie dentária e condições sócio-econômicas no Estado do Paraná, Brasil, 1996 Cad Saúde Pública. 2002; 18: 755-63.

32. Peres KGA, Bastos JRM, Latorre MRD. Gravidade de cárie em crianças e relação com aspectos sociais e comportamentais Rev Saúde Pública. 2000; 34: 40208.

33. Kenney MK, Kogan MD, Crall JJ. Parental perceptions of dental/oral health among children with and without special health care needs. Ambulatory Pediatrics. 2008; 8: 312-20.

34. Tomita NE, Nadanovsky P, Vieira ALF, Lopes ES. Preferências por alimentos doces e cárie dentária em pré-escolares. Rev Saúde Pública. 1999; 33: 542-6.

35. Kavanaugh M, Halterman S, Montes G, Epstein M, Hightower D, Weitzman M. Maternal depressive symptoms are adversely associated with prevention practices and parenting behaviors for preschool children. Ambulatory Pediatrics. 2006; 6: 32-7.
588018cd7f8c9d0a098b4e1c rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections