Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/588018cb7f8c9d0a098b4e14
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Contextual aspects of the caries absence among Brazilian 12-year-olds in three historical periods

Aspectos contextuais da ausência de cárie aos 12 anos no Brasil em três períodos históricos

Moreira, Rafael da Silveira; Nico, Lucélia Silva

Downloads: 0
Views: 639

Abstract

Objective: The objective of the research was to identify the relationship between contextual aspects and the absence of caries in Brazilian 12-year-olds in the years of 1986, 1996 and 2003. Method: Multilevel analyses were carried from the data of the three main national epidemiological surveys of oral health condition among Brazilian 12‑year‑olds, being the first level the individuals and as the second level their respective federation unit. Logistic regression models were used to estimate the Odds Ratio for the absence of caries (DMF-T = 0) in relation to some demographic and socio-economic contextual variables. Result: The analysis of the variance partition showed in 1986, 1996 and in 2003, respectively, a participation of 28,6, 5.8 and 4.4% of the contextual level on the variability of the outcome caries absence. The multiple analysis showed association of the increase of the life expectancy at birth and the percentage of individuals in housings with three rooms or more with the absence of caries, in the years of 1986 and 2003. The percentage of individuals with covering of canalized water net was associated with the absence of caries in the year of 1996. Conclusion: The study reached the goal of identifying the effect of contextual factors on caries and made possible to know the importance of collective characteristic from determined population on oral health individual characteristics.

Keywords

Oral health, DMF-T índex, dental health surveys, multilevel analysis

Resumo

Objetivo: O objetivo da pesquisa foi identificar os aspectos contextuais associados à ausência de cárie em escolares brasileiros de 12 anos de idade nos anos de 1986, 1996 e 2003. Método: Foi realizada uma análise multinível a partir dos dados dos três principais inquéritos epidemiológicos nacionais da saúde bucal de escolares de 12 anos de idade, sendo o primeiro nível os escolares e o segundo nível, a respectiva Unidade da Federação. Modelos de regressão logística foram utilizados para estimar a razão de chances para a ausência de cárie (CPO-D = 0) em relação a alguns indicadores contextuais estaduais demográficos e socioeconômicos. Resultado: A análise da partição da variância revelou em 1986, 1996 e 2003 uma participação, respectivamente, de 28,6, 5,8 e 4,4% do nível contextual sobre a variabilidade do desfecho ausência de cárie. A análise múltipla mostrou associação do aumento da esperança de vida ao nascer e da percentagem de indivíduos em moradias com três cômodos ou mais com a ausência de cárie, tanto no ano de 1986 quanto no ano de 2003. A percentagem de indivíduos com cobertura de rede de água encanada manteve-se associada à ausência de cárie no ano de 1996. Conclusão: O estudo alcançou o objetivo de identificar o efeito dos fatores contextuais sobre a cárie e possibilitou conhecer a importância que características coletivas de uma determinada população exercem sobre características individuais de saúde bucal.

Palavras-chave

Saúde bucal, índice CPO-D, levantamentos de saúde bucal, análise multinível

References



1. World Health Organization. Oral health surveys: basic methods. 4th ed. Geneva: ORH/EPID; 1997.

2. Costa AJL, Nadanovsky P. Desenhos de estudos epidemiológicos. In: Costa AJL, Nadanovsky P, Luiz RR. Epidemiologia e bioestatística na pesquisa odontológica. São Paulo: Atheneu; 2005. p. 215-43.

3. Susser M, Susser E. Choosing a future for epidemiology: II. From black box to Chinese boxes and eco-epidemiology. Am J Public Health. 1996; 86: 674-7.

4. Krieger N. Epidemiology and the web of causation: has anyone seen the spiders? Soc Sci Med. 1994; 39: 887-903.

5. Nadanovsky P, Luiz RR, Costa AJL. Causalidade em saúde bucal. In: Costa AJL, Nadanovsky P, Luiz RR. Epidemiologia e bioestatística na pesquisa odontológica. São Paulo: Atheneu; 2005. p. 71-87.

6. Brasil. Ministério da Saúde. Divisão Nacional de Saúde Bucal. Levantamento epidemiológico em saúde bucal: Brasil, zona urbana, 1986. Brasília: Centro de Documentação do Ministério da Saúde; 1988.

7. Brasil. Ministério da Saúde. Área Técnica de Saúde Bucal. Levantamento Epidemiológico em Saúde Bucal: Cárie Dental, Capitais, 1996 [citado em 2007 Mar 12]. Disponível em: http://www.saude.gov.br

8. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Projeto SB Brasil 2003: condições de saúde bucal da população brasileira 2002-2003: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2004.

9. Rasbash J, Browne W, Healy M, Cameron B, Charlton C. MLwiN Version 2.02. Multilevel Models Project. Institute of Education; 2005.

10. Snijders T, Bosker R. Multilevel analysis. United Kingdom: Sage; 1999.

11. Narvai PC, Castellanos RA, Frazão P. Declínio na experiência de cárie em dentes permanentes de escolares brasileiros no final do século XX. Odontologia e Sociedade. 1999; 1: 25-9.

12. Roncalli AG. Epidemiologia e saúde bucal coletiva: um caminhar compartilhado. Ciênc Saúde Coletiva. 2006; 11: 105-14.

13. Pinto VG. A odontologia brasileira às vésperas do ano 2000: diagnóstico e caminhos a seguir. São Paulo: Santos; 1993.

14. Silva JCC, Leon AP. Introdução à análise multinível em Odontologia. In: Costa AJL, Nadanovsky P, Luiz RR. Epidemiologia e bioestatística na pesquisa odontológica. São Paulo: Atheneu; 2005. p. 419-37.

15. Powell LV. Caries prediction: a review of the literature. Community Dent Oral Epidemiol. 1998; 26: 361-71.

16. Källestal C, Wall S. Socio-economic effect on caries. Incidence data among Swedish 12-14-year-olds. Community Dent Oral Epidemiol. 2002; 30: 108-14.

17. Victora CG, Vaughan JP, Barros FC, Silva AC, Tomasi E. Explaining trends in inequities: evidence from Brazilian child health studies. The Lancet. 2000; 356: 1093-8.

18. Patussi MP. As desigualdades na distribuição da cárie dentária em escolares de 12 anos residentes em diferentes regiões socioeconômicas do Distrito Federal, Brasil – 1997. Revista Brasileira de Odontologia em Saúde Coletiva. 2000; 1(1): 19-28.

19. Lucas SD, Portela MC, Mendonça LL. Variações no nível de cárie dentária entre crianças de 5 e 12 anos em Minas Gerais, Brasil. Cad Saúde Pública. 2005; 21: 55-63.

20. Moysés SJ. Desigualdades em saúde bucal e desenvolvimento humano: um ensaio em preto, branco e alguns tons de cinza. Revista Brasileira de Odontologia em Saúde Coletiva. 2000; 1(1): 7-17.

21. Baldani MH, Narvai PC, Antunes JLF. Cárie e condições sócio-econômicas no Estado do Paraná, Brasil, 1996. Cad Saúde Pública. 2002; 18: 755-63.

22. RIPSA. Indicadores básicos de saúde no Brasil: conceitos e aplicações. Rede Interagencial de Informações para a Saúde – RIPSA. Brasília: OPAS; 2002.
588018cb7f8c9d0a098b4e14 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections