Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/588018c97f8c9d0a098b4e0d
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Assessment of socioeconomic variables in the caries and fluorosis prevalence in cities with and without water supply fluoridation

Avaliação de variáveis socioeconômicas na prevalência de cárie e fluorose em municípios com e sem fluoretação das águas de abastecimento

Guerra, Luciane Miranda; Pereira, Antonio Carlos; Pereira, Stela Márcia; Meneghim, Marcelo de Castro

Downloads: 0
Views: 594

Abstract

The aim of this study was to investigate possible association of socioeconomic variables and dental caries and fluorosis in two districts of the State of São Paulo: Piracicaba (public water supply fluoridation since 1971) and in Holambra (non-fluoridated water supply), Sao Paulo, Brazil. Twenty-four schools (n=1,002) were randomly selected in Piracicaba and a census was conducted in 6 schools (n=119) in Holambra, totaling 1,121 12-year-old schoolchildren enrolled in both public and private schools. The dental exams were made by one previously calibrated examiner (Kappa >0.91 for tooth decay and Kappa=0.89 for fluorosis). DMFT and Dean index for fluorosis prevalence. Univariate and multiple logistic regression analyses were conducted. In conclusion, Piracicaba (fluoridation in water supply) had lower prevalence of caries, while Holambra, having no fluoridated water, revealed lower prevalence of fluorosis; income was considered a risk indicator for fluorosis and social variables were associated with caries experience.

Keywords

Dental caries, fluoridation, socioeconomic factors

Resumo

O objetivo deste estudo foi pesquisar a possível associação de variáveis socioeconômicas nas prevalências de cárie e de fluorose em dois municípios de Estado de São Paulo: Holambra, sem fluoretação das águas de abastecimento; e Piracicaba, que possui fluoretação das águas. Em Piracicaba foram selecionadas, aleatoriamente, 24 escolas (n=1002) e, em Holambra, realizado censo em 06 escolas (n=119), totalizando 1121 escolares de 12 anos de escolas públicas e privadas. Os exames foram realizados por um examinador calibrado (Kappa >0,91 para cárie e Kappa = 0,89 para fluorose). Foram calculados os índices CPOD (média de dentes cariados perdidos e obturados por indivíduo) e índice de Dean para a prevalência de fluorose. Foram realizadas análises univariada e de regressão logística multivariada. As variáveis escolaridade do pai da criança, tipo de água ingerida e atividade de cárie foram indicadores de risco para cárie, enquanto gênero e renda o foram para fluorose. Concluiu-se que Piracicaba - SP, que possuía água fluoretada, teve as médias de prevalência de cárie menores e Holambra, que não possuía fluoretação das águas de abastecimento, apresentou prevalência mais baixa de fluorose; a renda foi considerada um indicador de risco para fluorose e houve associação entre variáveis sociais e experiência de cárie.

Palavras-chave

Cárie dentária, fluoretação, fatores socioeconômicos

References



1. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria Nacional de Programas Especiais de Saúde. Divisão Nacional de Saúde Bucal. Fundação Serviços de Saúde Pública. Levantamento epidemiológico em saúde bucal: Brasil, zona urbana, 1986. Brasília; 1988.

2. Brasil. Ministério da Saúde. Divisão Nacional de Saúde Bucal. Levantamento epidemiológico em saúde bucal. Brasília; 1996.

3. Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Coordenação Nacional de Saúde Bucal. Projeto SB Brasil 2003. Condições de Saúde Bucal da população brasileira 2002-2003: resultados principais. Brasília; 2004.

4. Koslowski FC. Relação entre fator socioeconômico e prevalência e severidade de fluorose e cárie dentária [tese doutorado]. Piracicaba: Faculdade de Odontologia de Piracicaba; 2001.

5. Pereira, SM. Dental caries in 12-year-old schoolchildren and its relationship with socioeconomic and behavioural variables. Oral Health Prev Dent. 2007; 5: 299-306.

6. Tickle M. The 80:20 phenomenon: help or hindrance to planning caries prevention programmes? Community Dent Health. 2002; 19: 39‑42.

7. Maltz M, Silva BB. Relação entre cárie, gengivite, fluorose e nível socioeconômico em escolares. Rev Saúde Pública. 2001; 35: 170-6.

8. Saliba NA, Moimaz SAS, Saliba O, Santos KT, Sundfeld RH, Lelis RT. Fluorose dentária em jovens não expostos a água fluoretada durante a formação dentária. Arq Odontol. 2006; 42: 81-160.

9. Frazão P, Peverari AC, Forni TIB, Mota AG, Costa LR. Fluorose dentária: comparação de dois estudos de prevalência. Cad Saúde Pública. 2004; 20: 1050-8.

10. Sampaio FC, Ramm von der Fehr F, Arneherg P, Petrucci Gigante D, Hatloy A. Dental fluorosis and nutritional status of 6 to 11-year-old children living in rural areas of Paraíba, Brazil. Caries Res. 1999; 33: 66-73.

11. São Paulo (Estado). Secretaria de Economia e Planejamento. Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Perfil Municipal de Piracicaba [citado em 2007 Ago 19]. Disponível em: http://www.seade.sp.gov.br/produtos/perfil/perfil.php

12. São Paulo (Estado). Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados. Perfil Municipal de Holambra [citado em 2007 Ago 19]. Disponível em: http://www.seade.sp.gov.br/produtos/perfil

13. Meneghim MC, Koslowsky FC, Pereira AC, Ambrosano GMB. Classificação socioeconômica e sua discussão em relação à prevalência de cárie e fluorose dentária. Ciênc Saúde Colet. 2007; 12: 523-9.

14. WHO. Oral health surveys: basic methods. 4th ed. Geneva; 1997.

15. Assaf AV, Meneghim MC, Zanin L, Tengan C, Pereira AC. Effect of different diagnostic thresholds on dental caries calibration - a 12 month evaluation. Community Dent Oral Epidemiol. 2006; 34: 213-9.

16. Dean HT, Arnold FH, Elvove E. Domestic water and dental caries: additional studies of the relation of fluoride domestic waters to dental caries experience in 4.425 white children aged 12-14 years of 13 cities in 4 states. Public Health Rep. 1942; 57: 1155-79.

17. SAS Institute Inc. The SAS system, release 8.02 [CD-ROM]: SAS Institute Inc.; 2001.

18. Bratthall D. Introducing the significantt caries index together with a proposal for a new global oral health goal for 12-year-olds. Int Dent J. 2000; 50: 378-84.

19. Baldani MH, Narvai, PC, Antunes JLF. Cárie dentária e condições sócio-econômicas no Estado do Paraná, Brasil, 1996. Cad Saúde Pública. 2002; 18: 755-63.

20. Lewis DW, Banting DW. Water fluoridation: current effectiveness and dental fluorosis. Community Dent Oral Epidemiol. 1994; 22: 153‑8.

21. Yeung CA. A systematic review oft the efficacy and safety of fluoridation. Evid Based Dent. 2008; 9(2): 39-43.

22. Peres SHCS, Peres A, Bastos JRM, Ramires I, Forti RM. Does the interruption of water fluoridation supply increase dental caries prevalence? Bras J Oral Sci. 2003; 1: 169-73.

23. Rhis LB, Silva RC, Souza MLR, Cypriano S, Gomes PR. Atividade de cárie em adolescentes de município com muito baixa prevalência de cárie: Paulínia, São Paulo, 2004. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2007; 48(1/3): 12-6.

24. Antunes JLF, Peres MA, Mello TRC, Waldman EA. Multilevel assessment of determinants of dental caries experience in Brasil. Community Dent Oral Epidemiol. 2006; 34: 146-52.

25. Rozier RG. The prevalence and severity of enamel fluorosis in North American children. J Public Health Dent. 1999; 59: 239-46.

26. Cangussu MCT, Narvai PC, Fernandez RC, Djehizian V. A fluorose dentária no Brasil: uma revisão crítica. Cad Saúde Publica. 2002; 18: 7-15.

27. Cypriano S, Pecharki GD, Souza MLR, Wada RS. A saúde bucal de escolares residentes em locais com ou sem fluoretação nas águas de abastecimento público na região de Sorocaba, São Paulo, Brasil. Cad Saúde Publica. 2003; 19: 1063-71.

28. McDonagh MS, Whiting PF, Wilson PM, Sutton AJ, Chestnutt I, Cooper J, et al. Systematic review of water fluoridation. Br Med J. 2000; 321(7265): 855-9.

29. Cunha LF, Tomita NE. Dental Fluorosis in Brasil: a systematic review from 1993 to 2004. Cad. Saúde Pública. 2006; 22: 1809-11.
588018c97f8c9d0a098b4e0d rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections