Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/588018b17f8c9d0a098b4d86
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Perception of dental students about aging

Percepção de acadêmicos de Odontologia sobre o envelhecimento

Moimaz, Suzely Adas Saliba; Garbin, Cléa Adas Saliba; Lolli, Luiz Fernando; Dossi, Ana Paula; Nayme, João Guilherme Rodrigues

Downloads: 0
Views: 567

Abstract

The changes on learning space where Dentistry Students stay in front of social reality, by university extension, represent a strategy to form dentists according to Brazilian Curricular Directresses. In Araçatuba Dental School (FOA-UNESP), one of alternatives to add students on real locals of dentistry practices is the “Always Smiling Project – Dental Attention for institutionalized elderly in Araçatuba City, São Paulo State – Brazil”. The aim of this study was to verify the self-perception of dentistry students about aging before and after participation in this Project during one school year. To data collection, an instrument with 3 opened questions was performed and applied on 45 students, in the beginning of activities in 2009 and after 8 months. The answers were analyzed by content categorization. The results showed that the perception of students about old people was negative relating them with frail person that needs help and the students’ expectations were higher about clinical aspects of attention. In the end of school year was clear the difference of students’ comprehension about aging and their thoughts demonstrated the empathy resulting from relation. Besides, students related knowledge gain and noted that health attention involve others aspects that are over than biological space. It was possible to conclude that insertion of students in “Always Smiling” contributed to reflection and learn about aging process and suggest that practices like these should be added in Brazilian Universities.

Keywords

Aged, health care, health of the elderly

Resumo

A diversificação dos cenários de aprendizagem com posicionamento dos graduandos frente a frente com a realidade social, por meio da extensão universitária, representa uma estratégia para a formação de profissionais de Odontologia segundo propósito das diretrizes curriculares nacionais. Na Faculdade de Odontologia de Araçatuba (FOA-UNESP), uma das alternativas para a incorporação de acadêmicos nos cenários reais de práticas é o Projeto “Sempre Sorrindo – Atenção Odontológica a Idosos Institucionalizados de Araçatuba”. O objetivo desta pesquisa foi verificar a percepção de acadêmicos de Odontologia sobre o envelhecimento antes e após a participação por um ano letivo no referido projeto. Para a coleta dos dados, um questionário, contendo três questões abertas, foi elaborado e aplicado a 45 acadêmicos, no início e após oito meses de participação no projeto. As respostas foram analisadas por categorização de conteúdo. Os resultados demonstraram que a impressão sobre os idosos foi estereotipada em um indivíduo frágil, necessitado de ajuda, e que as expectativas dos alunos estavam altamente voltadas aos aspectos clínicos da atenção. Na avaliação pós-participação, foi nítida a diferença de compreensão da velhice, na medida em que os relatos expuseram a empatia gerada na relação. Além disso, os acadêmicos relataram ganho de conhecimentos com a convivência e notaram que a atenção à saúde envolve outros aspectos que vão além do universo biológico. Conclui-se que a inserção dos acadêmicos no projeto “Sempre Sorrindo” contribuiu para reflexão e aprendizado sobre o envelhecimento e sugere-se que práticas desta natureza sejam incorporadas nas instituições de ensino superior do país.

Palavras-chave

Idoso, atenção à saúde, saúde do idoso

References



1. Brasil. Conselho Nacional de Educação. Câmara de Educação Superior. Resolução CNE/CES 3, de 19 de fevereiro de 2002. Institui Diretrizes curriculares nacionais do curso de graduação em odontologia [citado em 2010 Abr 10]. Disponivel em: http://www.redeunida. org.br/diretrizes/dors/ odontologia - Resolução 0302. pdf

2. Ponte CIRV, Torres MAR, Machado CLB, Manfroi WC. A extensão universitária na Famed/UFRGS: cenário de formação profissional. Rev Bras Educ Med [Online]. 2009; 33:527-34. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0100‑55022009 000400003&lng=en&nrm=iso. doi: 10.1590/S0100-55022009000400003

3. Moimaz SAS, Almeida MEL, Saliba NA, Garbin CAS. Programa sempre sorrindo: uma visão além da boca. Rev Fac Odontol Lins. 2003; 15: 37-42.

4. Araújo PF, Silva EFA, Silva DD, Sousa MLR. Quality of life of adults and elderly individuals who search the Piracicaba dentistry school service for total dental prostheses. Rev Odontol UNESP. 2008; 37: 109-16.

5. Moimaz SAS, Garbin CAS, Saliba NA, Lolli LF. O idoso no Brasil-Aspectos legislativos de relevância para profissionais de saúde. EspaçSsaúde [Online]. 2009; 10: 61-69 [citado em 2010 Abr 15]. Disponível em: http://www.ccs.uel.br/espacoparasaude/v10n2/index.htm

6. Turato ER. Métodos qualitativos e quantitativos na área da saúde, diferenças e seus objetos de pesquisa. Rev Saúde Pública. 2005; 39: 507‑14.

7. Nogueira-Martins MCF, Bogus CM. Considerações sobre a metodologia qualitativa como recurso para o estudo das ações de humanização em saúde. Saude Soc [Online]. 2004;13:44-57 [citado em 2010 Abr 15]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_ arttext&pid=S0104-12902004000300006&lng=pt&nrm=iso. doi: 10.1590/S0104-12902004000300006

8. Bardin L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edição 70; 1979.

9. Cachioni M, Aguilar LE. A convivência com pessoas idosas em instituições de ensino superior: a percepção de alunos da graduação e funcionários. Rev Kairós. 2008; 11: 79-104.

10. Saliba NA, Moimaz SAS, Moraes JÁ, Prado RL. Perfil de cuidadores de idosos e percepção sobre saúde bucal. Interface Comun Saúde Educ. 2007; 11: 39-50.

11. Krout JA, Wasyliw Z. Infusing gerontology into grades 7-12 social studies curricula. Gerontologist. 2002; 42: 387-91.

12. Moimaz SAS, Almeida MEL, Lolli LF, Garbin CAS, Saliba NA. Envelhecimento: análise de dimensões relacionadas à percepção dos idosos. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2009; 12: 361-75.

13. Moimaz SAS, Saliba NA, Garbin CAS, Zina LG, Furtado JF, Amorim JA. Serviço extramuro odontológico: impacto na formação profissional. Pesq Bras Odontoped Clin Integr. 2004; 4: 53-7.

14. Jardim VCFS, Medeiros BF, Brito AM. Um olhar sobre o processo do envelhecimento: a percepção de idosos sobre a velhice. Rev Bras Geriatr Gerontol. 2006; 9(2). Disponível em: http://www.unati.uerj.br/tse/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1809‑98232006000200003 &lng=pt&nrm=iso

15. Koch HR. Nível de informação sobre o envelhecimento humano entre os acadêmicos do último ano dos cursos de Odontologia de Curitiba [dissertação mestrado]. Curitiba: Pontifícia Universidade Católica do Paraná; 2006.

16. Medeiros FAL, Araújo DV, Barbosa LNS. Percepção de acadêmicos de enfermagem sobre cuidar de idosos. Cogitare Enferm. 2008; 13: 535-41.

17. Montanholi LL, Tavares DMS, Oliveira GR, Simões ALA. Ensino sobre idoso e gerontologia: visão do discente de enfermem no estado de Minas Gerais. Texto & Contexto Enferm. 2006; 15: 663-71.
588018b17f8c9d0a098b4d86 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections