Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/588018af7f8c9d0a098b4d7d
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Perception of the directors, professors and nursery school professionals of public day-care centers on the orofacial trauma

Percepção de diretores, professores e berçaristas de creches públicas sobre traumatismos orofaciais

Cordeiro, Priscila Monteiro; Fontes, Luciana de Barros Correia; Granville-Garcia, Ana Flávia; Maciel, Miliani do Amaral Souza; Lucas, Rilva Suely de Castro Cardoso

Downloads: 0
Views: 518

Abstract

Introduction: Orofacial trauma represents a real problem in public health care due to its significant prevalence, particularly in early childhood, and the consequences it may have. Besides, there have been information gaps about this theme in childhood education. Objective: the study was designed to verify the perception of directors, teachers, and nursery school professionals of public nursery schools about cases of orofacial trauma. Material and method: observational study, in a transversal cut, with a descriptive quanti-qualitative approach of data. The samples calculus included 30% of public nursery schools in Campina Grande – PB, engaged in the reference program in total attention to children. The sample comprised the childhood education team in those institutions. Face-to-face interviews with questionnaires conducted in February and March, 2009 were used for collecting data. Result: a total of 58 volunteers were surveyed, being 72,4% of them experienced teachers, 22,4% nursery school professionals, and 1,2% directors aged, on average, 37 or 38 with secondary education at the minimum. 86,2% of the surveyed stated they have not given instructions to deal with possible cases of orofacial trauma, and 44,8% of them reported having experienced it in the nursery school. Cuts and lacerations on the lips were the traumatisms mostly reported by the professionals (42,3%). The teachers were responsible for dealing with most of the children who were victims of traumatism (34,3%), being surpassed by hospital admittance (39,6%) as the usual system for treatment. Conclusion: the volunteers presented no knowledge of the procedures to be used in situations involving orofacial trauma. Thus, we highlight the need to implant educative preventing measures related to this theme in public nursery centers.

Keywords

Childhood rearing, child preschool, facial injuries, mouth, primary tooth

Resumo

Introdução: o traumatismo orofacial representa um problema de saúde pública, devido à prevalência expressiva, de forma particular na primeira infância, e às conseqüências que pode gerar. No entanto, lacunas de informação existem sobre esse tema na educação infantil. Objetivo: o objetivo deste estudo foi verificar a percepção dos diretores, professores e berçaristas de creches públicas sobre as situações de traumatismo orofacial. Material e método: estudo observacional, em corte transversal, com abordagem quantiqualitativa e descritiva dos dados. O cálculo amostral envolveu 30% das creches públicas de Campina Grande, Paraíba, vinculadas a programa de referência na atenção integral à criança. A amostra foi composta pela equipe de educação infantil, nesses estabelecimentos. Entrevista face a face com aplicação de questionário representou o instrumento da coleta de dados, realizada durante os meses de fevereiro e março do ano de 2009. Resultado: das 58 voluntárias, 72,4% eram professoras, 22,4% berçaristas e 1,2% diretoras, com uma idade de 37 anos e oito anos de experiência em média, além da escolaridade no ensino médio. Dessas, 86.2% informaram não ter recebido orientações de como proceder nas situações de traumas orofaciais, ocorrendo relatos de experiência na creche por 44,8% das entrevistadas. Cortes ou lacerações nos lábios foram os traumatismos mais relatados (42,3%). O professor foi considerado como maior responsável pela atenção à criança vítima de traumatismo (34,5%), destacando-se o hospital (39,6%) como local de referência para atendimento. Conclusão: as voluntárias demonstraram falta de conhecimento sobre como proceder nas situações de traumatismos orofaciais. Reforça-se a necessidade de implantar medidas educativo-preventivas direcionadas ao assunto, nas creches.

Palavras-chave

Educação infantil, pré-escolar, traumatismos faciais, cavidade oral, dente decíduo

References



1. Gendor U. Aetiology and risk factors related to traumatic dental injuries – a review of literature. Dent Traumatol. 2009; 25: 19-31.

2. Colak I, Markovic D, Petrovic D, Peric T, Milenkovic A. Retrospective study of intrusive injuries in primary dentition. Dent Traumatol. 2009; 25: 605-10.

3. Stangler ML, Vanni JR, Echer R. Avaliação quantitativa do conhecimento do curso de pedagogia – UPF sobre avulsão-reimplante. Rev Fac Odontol Univ Passo Fundo. 2002; 7(1): 23-8.

4. Bittencourt AM, Pessoa OF, da Silva JM. Avaliação do conhecimento de professors em relação ao manejo da avulsão dentária em crianças. Rev Odontol UNESP. 2008; 37: 15-9.

5. Traebert J, Traiano ML, Armenio R, Barbieri DB, de Lacerda JT, Marcenes W. Knowledge of lay people and dentists in emergency management of dental trauma. Dent Traumatol. 2009; 25: 277-83.

6. Costa ABM. Traumatismos alveolo-dentários: avaliação dos conhecimentos e atitudes de uma amostra de professores do ensino fundamental do município de São Paulo [dissertação mestrado]. São Paulo: Faculdade de Odontologia da USP; 2004.

7. Granville-Garcia AF, Menezes VA, Lira PIC. Prevalência e fatores sociodemográficos associados ao traumatismo dentário em pré‑escolares. Odontol Clin Cient. 2006; 5(1): 57-64.

8. Jorge KO, Moysés SJ, Ferreira e Ferreira E, Ramos-Jorge ML, Zarzar PMA. Prevalence and factors associated to dental trauma in infants 1-3 years of age. Dent Traumatol. 2009; 25: 185-9.

9. Mestrinho JD, Bezerra ACB, Carvalho JC. Traumatic dental injuries in Brazilian Pre-schol children. Braz Dent J. 1998; 9: 101-4.

10. Silva MB, Costa AMM, Almeida MEC, Maia AS, Carvalhal CIO, Resende GB. Avaliação do conhecimento da abordagem de trauma dental, pelos profissionais de creches. Conscientiae Saúde. 2009; 8(1): 65-73.

11. Vokoy T, Pedroza RLS. Psicologia escolar em educação infantil: reflexões de uma atuação. Psicol Esc Educ. 2005;9(1):37-46.

12. Costa JRO, Lucas RSCC. Atenção odontológica para bebês: avaliação da percepção dos cuidadores em creches privadas e públicas municipais na cidade de Campina Grande – PB. Rev ABOPREV. 2003; 6(1): 3-10.

13. McIntyre JD, Lee JY, Trope M, Vann WF. Effectiveness of dental trauma education for elementary school staff. Dent Traumatol. 2008; 24: 146-50.

14. Campos L, Bottan ER, Faria J, Silveira E. Conhecimento e atitudes sobre saúde e higiene bucal dos professores do ensino fundamental de Itapema-SC. Rev Odontol UNESP. 2008; 37: 389-94.

15. Ferrreira JM, Fernandes de Andrade EM, Katz CR, Rosenblatt A. Prevalence of dental trauma in deciduous teeth of Brazilian children. Dent Traumatol. 2009; 25: 219-23.

16. Porto RB, Freitas JSA, Cruz MRS, Bressani AEL, Barata JS, Araújo FB. Prevalência de traumatismos alvéolo-dentários nas clínicas de urgência odontopediátrica da FO/UFRGS. Rev Fac Odontol Porto Alegre. 2004; 44: 52-4.

17. Almeida CB, Mussi RFF, Freitas DA, Veloso DA. Avaliação do conhecimento dos professores de artes marciais de Guanambi-BA sobre avulsão-reimplante e a importância do uso de protetor bucal durante as aulas. Educación Física y Deportes 2008 [citado em 2009 Abr 26]. Disponível em: http://www.efdeportes.com/ndic125.htm

18. Feldens EG. Conhecimento de professores de escolas municipais de Canoas-RS sobre traumatismos dentários: fatores associados e estratégias para desenvolver competências [dissertação mestrado]. Porto Alegre: Faculdade de Odontologia da UFRGS; 2008.

19. Alves RCP, Veríssimo MDLOR. Os educadores de creche e o conflito entre cuidar e educar. Rev Bras Crescimento Desenvolv Hum. 2007; 17: 13-35.

20. Diab M, elBadrawy HE. Intrusion injuries of primary incisors. Part I: review and management. Quintessence Int. 2000; 31: 327-33.

21. Vasconcellos VMR. Formação dos profissionais de educação infantil: reflexões sobre uma experiência. Rev Em Aberto. 2001; 18(73): 98‑111.
588018af7f8c9d0a098b4d7d rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections