Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/588017ae7f8c9d0a098b484f
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Fissura completa bilateral: características morfológicas

Bilateral cleft lip and palate: morphological caracteristics

Rodrigues, M.R.; Costa, B.; Gomide, M.R.; Neves, L.T.

Downloads: 6
Views: 1252

Resumo

A fissura labiopalatina é uma malformação congênita que ocorre no período embrionário e envolve os processos faciais e palatinos. No Brasil acomete um a cada 650 nascidos vivos. A reabilitação e o prognóstico do tratamento dependem da amplitude da fissura, do tamanho dos segmentos ósseos e da posição que guardam entre si. As fissuras completas bilaterais são a forma mais grave e extensa desta anomalia e apresentam uma prevalência entre 14 e 18%. Esse tipo de malformação divide a maxila em três segmentos distintos: dois palatinos e um central, também chamado de pré-maxila. O segmento anterior é independente dos outros e está ligado somente à extremidade anterior do septo nasal. O objetivo deste trabalho é descrever as diferentes posições que esses segmentos guardam entre si e no que esse posicionamento pode interferir no prognóstico de reabilitação.

Palavras-chave

Fissura labiopalatina

Abstract

Cleft lip and palate is a congenital malformation that occurs in the embryonic period and affects the facial and palatal processes. In Brazil, it affects 1 out of every 650 livebirths. Rehabilitation and prognosis depend on the amplitude of the cleft, size of the bone segments and their position to each other. The bilateral complete clefts are the most severe and extensive type of cleft and affect 14 to 18% of all patients with clefts. This type of malformation divides the maxilla into three separated segments, namely two palatal segments and one central segment called premaxilla. The anterior segment is independent of the others and is only attached to the anterior end of the nasal septum. The aim of this paper is to describe the different positions these segments may present to each other, which may be close with contact, aligned without contact or close and collapsed.

Keywords

Cleft lip and palate

References



1. Aiello CA, et al. Fisuras labiopalatais: uma visão contemporânea do processo reabilitador. In: Mugayar LRF. Pacientes portadores de necessidades especiais: manual de odontologia e saúde oral. São Paulo: Pancast Editora;

2000. cap.3, p.111-39.

2. Capelozza Filho L, et al. Conceitos vigentes na epidemiologia das fissuras lábio-palatinas. Rev Bras Cir. 1987; 77: 223-30.

3. Capelozza Filho L, et al. Conceitos vigentes na etiologia das fissuras lábiopalatinas. Rev Bras Cir. 1988; 78: 233-40.

4. Carreirão S, et al. Tratamento das fissuras labiopalatinas. 2ª ed. Rio de Janeiro: Editora Revinter; 1996.

5. Nagem Filho H, Moraes N, Rocha RGF. Contribuição para o estudo da prevalência das malformações congênitas labiopalatais na população escolar de Bauru. Rev Fac Odontol Univ São Paulo. 1968; 6: 111-28.

6. Silva Filho OG, Freitas JAS, Okada T. Fissuras labiopalatinas: diagnóstico e uma filosofia interdisciplinar de tratamento. In: Pinto VG. Saúde bucal coletiva. 4ª ed. São Paulo: Editora Santos; 2000. cap.19, p.481-527.

7. Silva Filho OG, et al. Classificação das fissuras lábio-palatais: breve histórico, considerações clínicas e sugestão de modificação. Rev Bras Cir. 1992; 82: 59-65.

8. Spina V, et al. Classificação das fissuras lábio-palatinas. Sugestão de modificação. Rev Hosp Clin. Fac Med S Paulo. 1972; 27: 5-6.
588017ae7f8c9d0a098b484f rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections