Revista de Odontologia da UNESP
https://revodontolunesp.com.br/article/588017ab7f8c9d0a098b4843
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Avaliação da Recuperação Elástica e da Resistência ao Rasgamento de um Silicone para Uso em Prótese Facial sob a Influência da Pigmentação e da Desinfecção Química

Effect of pigmentation and chemical disinfection on the elastic recovery and tear strength of a silicone maxillofacial prosthetic material

Goiato, M.C.; Ribeiro, P.P.; Santos, D.M.; Fernandes, A.U.R.; Santos, P.H.; Pellizzer, E.P.

Downloads: 0
Views: 615

Resumo

A proposta deste estudo foi analisar o efeito da pigmentação e da desinfecção química sobre a recuperação elástica e a resistência ao rasgamento de um silicone (Silved Selante – Sil Trade) para uso em prótese facial. As amostras para os testes de rasgamento (75 mm x 25 mm x 0,5 mm) e recuperação elástica (20 mm x 12,5 mm) foram confeccionadas de acordo com as instruções do fabricante. Para cada propriedade (n = 30), dez amostras foram pigmentadas com pó de maquiagem, dez com óxido de ferro, e dez sem pigmentação. Cinco amostras de cada grupo foram submetidas à desinfecção química utilizando clorexidina a 2% por aspersão. Todas as amostras foram imersas em soro fisiológico e armazenadas em uma estufa a 35° + 1°C. Depois de 60 dias, as amostras foram submetidas ao teste de rasgamento utilizando-se uma máquina de ensaio universal (EMIC), e a recuperação elástica foi avaliada por um relógio indicador. Para ambas as propriedades, os dados foram analisados por dois métodos de análise, o de variância (ANOVA) seguido pelo teste de Tukey (α = 0,05). Os resultados mostraram que as amostras pigmentadas com pó de maquiagem, com e sem desinfecção, apresentaram médias mais altas de resistência ao rasgamento. A desinfecção química promoveu uma significância (p < 0,5) diminuindo os valores da recuperação elástica independente da pigmentação. O silicone (Silved Selante – Sil Trade) pigmentado com pó de maquiagem apresenta propriedades físicas satisfatórias para uso em prótese maxilofacial.

Palavras-chave

Resistência ao rasgamento, recuperação elástica, prótese maxilofacial

Abstract

The purpose of this study was to analyze the effect of pigmentation and chemical disinfection on the tear strength and elastic recovery of a silicone material for facial prosthesis (Silved Selante – Sil Trade). Tear test samples (75 mm x 25 mm x 0.5 mm) and elastic recovery samples (20 mm x 12.5 mm) were made following the manufacturer’s instructions. For each property (n = 30), ten samples were used for pigmentation with make up powder, ten with iron oxide, and ten were tested without pigmentation. Five samples of each group were submitted to chemical disinfection using a 2% chlorhexidine spray. All samples were immersed in physiological saline and stored in an oven at 35° + 1°C. After 60 days, the samples were submitted to tear test using an universal testing machine (EMIC), and the elastic recovery was evaluated using a dial indicator. For both properties, data were analyzed by two-way analysis of variance (ANOVA) followed by Tukey’s test (α = 0.05). The results showed that make-up powder pigmented samples, with or without disinfection, presented higher mean tear strength. Chemical disinfection promoted a significant (p < 0.5) decrease in the elastic recovery values, regardless of pigmentation. Make-up powder pigmented silicone presents satisfactory physical properties for the use in maxilofacial prosthesis use.

Keywords

Tear strength, elastic recovery, maxillofacial prosthesis

References



1. Rezende JRV, Oliveira JAP, Dias RB. Prótese buco maxilo facial: conceitos básicos e práticas de laboratório. São Paulo: Savier; 1986.

2. Ferreira RA. Escultores da face. Rev Assoc Paul Cir Dent. 1998; 52(1): 9-18.

3. Saboya ACL, Carvalho JCM, André M, Mattos BSC, Rossa R. Avaliação da dureza Shore A e da resistência ao rasgamento de alguns silicones acéticos modificados pra uso em prótese facial. Rev Odontol Univ São Paulo. 1997; 11: 93-7.

4. Carvalho JCM, Miracca R, Muench A. Avaliação comparativa da dureza Shore A e da resistência ao rasgamento de duas siliconas nacionais para uso em prótese facial. Rev Odontol Univ São Paulo. 1992; 6: 141-5.

5. Saboya ACL. Avaliação das propriedades físicas de alguns silicones acéticos em estado original e acrescidos ao silicone Silastic MDX-4-4210, para uso em prótese facial. RPG Rev Pós Grad. 1996; 3: 142-7.

6. Rezende JRV. Fundamentos da prótese buco-maxilofacial. São Paulo: Savier; 1997.

7. Kanter JC. The use of RTV in maxillofacial prosthetic. J Prosthet Dent. 1970; 24: 646-53.

8. Drane JB. Próteses faciais em silicona. In: Anais do Simpósio Latino Americano de Reabilitação da Face e Prótese Buco-maxilo-facial. Fundação Centro de Pesquisa de Oncologia; 1977; São Paulo. p. 106.

9. Graziani M. Prótese maxilo-facial. 3ª ed. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan; 1982.

10. Rowe AHR, Forrest JO. Dental impressions. The probability of contamination and a method of disinfection. Br Dent J. 1978; 145: 184-6.

11. Muench A, Jansen WC. Recuperação elástica de elastômeros em função da idade e da ordem de deformação. Rev Odontol Univ São Paulo. 1997; 11: 49-53.

12. Lewis DH, Castleberry DJ. An assessment of recent advances in external maxillofacial materials. J Prosthet Dent. 1980; 43: 426-32.

13. Mayer R. The artist’s handbook of materials and techniques. 5th ed. New York: Viking Penguin; 1991.

14. Guiotti AM. Influência do tempo de exposição ao meio ambiente, da desinfecção química e da pigmentação sobre a estabilidade dimensional e a manutenção da reprodução de detalhes de silicones para uso em prótese facial [Dissertação de Mestrado]. Araçatuba: Faculdade de Odontologia da UNESP; 2003.

15. Pinto JRR. Estudo dos materiais reembasadores resilientes em prótese total. Rev Assoc Paul Cir Dent. 2002; 56: 131-4.

16. Yu R, Koran III A, Craig RG. Physical properties of a pigmented silicone maxillofacial material as a function of accelerated aging. J Dent Res. 1980; 59: 1141-8.

17. Wolfaardt J, Chandler HD, Smith BA. Mechanical properties of a new facial prosthetic material. J Prosthet Dent. 1985; 53: 228-34.

18. Guiotti AM, Goiato MC. Silicones para próteses faciais: efeito da pigmentação e envelhecimento sobre dimensão e superfície. Ciênc Odontol Bras. 2004; 6(3): 86-97.

19. Sweeney WT, Fischer TE, Castleberry DJ, Cowperthwaite GF. Evaluation of improved maxillofacial prosthetic materials. J Prosthet Dent. 1972; 27: 297-305.

20. May PD. Maxillofacial prostheses of chlorinated polyethylene. J Biomed Mater Res. 1978; 12: 421-31.
588017ab7f8c9d0a098b4843 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections