Revista de Odontologia da UNESP
http://revodontolunesp.com.br/article/doi/10.1590/1807-2577.04517
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

Evaluation of the maladaptation of the test base in acrylic resin regarding the technique of preparation, place of measurement and storage time

Avaliação da desadaptação da base de prova em resina acrílica em relação à técnica de confecção, local de mensuração e tempo de armazenagem

Natália Pereira de OLIVEIRA; Renata Pilli JÓIAS; Rodnei Dennis ROSSONI; Renato Morales JÓIASResumo:

Abstract

Introduction: The most used material for the preparation of the baseplates is the acrylic resin, but it can present distortions.

Objective: To evaluate preparation technique, region and storage time that presents less maladaptation of the base when made with self-cured acrylic resin.

Material and method: Models were created in gypsum type III simulating edentulous maxilla, as divided into 3 groups (n = 10): GC (control group) thermopolymerizable acrylic resin; G1 - manual adaptation technique and G2 - drip technique. For the measurements, silicone by condensation of light consistency that was interposed between base and model was used. With a hydraulic press, 50 kg pressure was applied leading the base of the model. The obtained mold was measured in the palate, canine and molar regions with a digital caliper at the following times: immediately after the base polymerization, at 24, 48, 72, 96 hours and one week. The results were submitted to statistical analysis.

Result: G1 presented maladaptation of 0.43 mm ± 0.10, while G2 obtained 0.39 mm ± 0.11. The lowest maladaptation occurred in the CG. The palate region presented greater maladaptation (0.52 ± 0.07) and the canine region, the lowest (CD = 0.27 mm ± 0.07 and CE = 0.27 ± 0.09); There was no statistically significant difference for storage times.

Conclusion: G2 presented lower values than G1, with no statistically significant difference. The palate region presented greater maladaptation, followed by molars and canines. The bases continued to maladaptation the model after the immediate polymerization, with no statistically significant difference.

Keywords

Acrylic resins, denture, complete, denture retention, dental materials

Resumo

Introdução: O material mais empregado para confecção da base de prova é a resina acrílica por oferecer maior rapidez e praticidade, embora tenda a maior distorção.

Objetivo: Avaliar técnica de confecção, região e tempo de armazenagem que apresente menor desadaptação da base de prova confeccionada com resina acrílica ativada quimicamente.

Material e método: Confeccionaram-se modelos em gesso tipo III simulando maxila edêntula que foram divididos em 3 grupos (n = 10): GC - (grupo controle) resina acrílica termopolimerizável; G1 – técnica da adaptação manual; e G2 – técnica do gotejamento. Para as mensurações utilizou-se silicone por condensação de consistência leve que foi interposto entre base e modelo. Com uma prensa hidráulica aplicou-se pressão de 50 kg levando a base de encontro ao modelo. O molde obtido foi mensurado nas regiões de palato, caninos e molares com paquímetro digital nos seguintes tempos: imediatamente após a polimerização da base, em 24, 48, 72, 96 horas e uma semana. Os resultados foram submetidos à análise estatística.

Resultado: O G1 apresentou média de desadaptação de 0,43mm±0,10, enquanto o G2 obteve 0,39 mm ± 0,11. Os menores valores de desadaptação ocorreram no GC; A região do palato apresentou maior desadaptação (0,52 mm ± 0,07) e a região de caninos, as menores (CD = 0,27 mm ± 0,07 e CE = 0,27 ± 0,09); Não houve diferença estatisticamente significante para os tempos de armazenagem.

Conclusão: O G2 apresentou menores valores que o G1, sem diferença estatisticamente significante; A região de palato apresentou maior desadaptação, seguida de molares e caninos; As bases continuaram desadaptando ao modelo após a polimerização imediata, sem diferença estatisticamente significante.
 

Palavras-chave

Resinas acrílicas, prótese total, retenção de dentadura, materiais dentários

References

Brasil. Ministério da Saúde. Projeto SB Brasil 2010: pesquisa nacional de saúde buccal - resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde; 2012.

Souza SE, Cavalcanti NP, Oliveira LV, Meyer GA. Prevalência de desordens temporomandibulares em indivíduos desdentados reabilitados com próteses totais convencionais. Rev Odontol UNESP. 2014 Abr;43(2):105-10. http://dx.doi.org/10.1590/rou.2014.017.

Tamaki T. Dentaduras completas. 4. ed. São Paulo: Sarvier; 1983.

Anusavice KJ. Phillips materiais dentários. Rio de Janeiro: Elsevier; 2005.

Rocha R Fo, Paula LV, Costa VC, Seraidarian PI. Avaliação de monômero residual em resinas acrílicas de uso ortodôntico e protético: análise por espectroscopia. Rev Dent Press Ortodon Ortop Facial. 2007 Abr;12(2):96-104. http://dx.doi.org/10.1590/S1415-54192007000200014.

Woelfel JB, Paffenbarger GC, Sweeney WT. Clinical evaluation of complete dentures mode of 11 different types of denture base materials. J Am Dent Assoc. 1965 May;70(5):1170-88. PMid:14284642. http://dx.doi.org/10.14219/jada.archive.1965.0208.

Consani RLX, Domitti SS, Correr L So, Sinhoreti MAC. Efeito do tempo pós prensagem da resina acrílica na alteração dimensional da base de prótese total. Pesqui Odontol Bras. 2001 Jun;15(2):112-8. PMid:11705192. http://dx.doi.org/10.1590/S1517-74912001000200006.

Almeida MHW, Domitti SS, Consani S, Consani RLX, Milan FM. Influência de técnicas de polimerização sobre a adaptação das bases de prótese total. RFO. 1999 Jan-Jun;4(1):49-56.

Costa EMV, Carvalho LS, Kimpara ET, Joias RM. Adaptação de bases de próteses totais obtidas pela técnica convencional, com ancoragem palatal e periférica total. PCL: Revista Ibero-americana de Prótese Clínica & Laboratorial. 2004;6(34):584-90.

Camacho DP, Svidzinski TIE, Furlaneto MC, Lopes MB, Corrêa GO. Resinas acrílicas de uso odontológico a base de polimetilmetacrilato. Braz J Surg Clin Res. 2014 Mar-Maio;6(3):63-72.

Mirza FD. Dimensional stability of acrylic resin dentures. J Prosthet Dent. 1961 Sep-Oct;11(5):848-57. http://dx.doi.org/10.1016/0022-3913(61)90141-X.

Kimpara ET, Tango RN, Imai MA, Paes TJA Jr, Zanet CG, Cavalcanti BN. Desajuste das bases de prova de resina acrílica ativada quimicamente: operador x técnica de confecção x forma e tempo de armazenagem x local de mensuração. Braz Dent Sci. 2002;5(2):44-52.

Retamoso LC, Cunha TMA, Luz TL, Guariza O Fo, Tanaka O. Influência do método de manipulação na topografia de superfície da resina acrílica autopolimerizável. RGO. 2009 Jul-Set;57(3):335-8.

Gonçalves LC, Corrêa GA, Gomez T, Gomes VL, Raslan AA. Resinas acrílicas para bases de próteses totais – estudo da influência da pigmentação na estabilidade dimensional e propriedades mecânicas. Anais do 2º Congresso Brasileiro de Engenharia de Fabricação; 2003 maio 18-21; Uberlândia. Rio de Janeiro: ABCM; 2003 [cited 2077 June 15]. Available from: http://abcm.org.br/anais/cobef/2003/artigos/COF03_0353.pdf

García-Lopez DA, Rezende CEE, Hiramatsu DA, Nishida CL, Rubo JH. Estabilidade dimensional de uma resina acrílica para coroas provisórias em função de diferentes técnicas de processamento ao longo do tempo. Rev Odontol UNESP. 2013 Jun;42(3):196-203. http://dx.doi.org/10.1590/S1807-25772013000300009.

Menezes LM, Gonçalves TC, Morganti MA, Silva LEA. Avaliação de monômero residual de resinas acrílicas: estudos in vitro x in situ. Rev Soc Bras Ortod [Internet]. 2010 Jul-Dez [cited 2077 June 15];6(1). Available from: http://www.revistasbo.com.br/main.php?bgsModulo=bgs_page.rev20101_m1

Kedjarune U, Charoenworaluk N, Koontongkaew S. Release of menthyl methacrylate from heat-cured and autopolymerized resins: cytotoxicity testing related to residual monomer. Aust Dent J. 1999 Mar;44(1):25-30. PMid:10217017. http://dx.doi.org/10.1111/j.1834-7819.1999.tb00532.x.

Garbelini WJ, Salvador MCG, Freitas CA, Conti JV, Vieira LF. Alterações dimensionais ocorridas em uma resina acrílica ativada termicamente após polimerização por três diferentes técnicas. Rev Fac Odontol Bauru. 1999 Jul-Dez;7(3/4):33-7.

Skinner EW. Acrylic resins: na appraisal of their use in dentistry. J Am Dent Assoc. 1949 Sep;39(3):261-8. PMid:18134616. http://dx.doi.org/10.14219/jada.archive.1949.0217.

Dixon DL, Breeding LC, Ekstrand KG. Linear dimensional variability of three denture base resins after processing and in water storage. J Prosthet Dent. 1992 Jul;68(1):196-200. PMid:1403908. http://dx.doi.org/10.1016/0022-3913(92)90304-S.

Rizzati-Barbosa CMR, Del Bel Cury AA, Panzeri H. Influência da sorção de água e do processo de polimerização por energia de microondas na adaptabilidade de próteses totais. Rev Odontol Univ Sao Paulo. 1995 Jul-Set;9(3):197-206.

Retamoso LB, Cunha TMA, Pithon MM, Santos RL, Martins FO, Romanos MTV, et al. In vitro cytotoxicity of self-curing acrylic resins of different colors. Dental Press J Orthod. 2014 Jul-Aug;19(4):66-70. PMid:25279523. http://dx.doi.org/10.1590/2176-9451.19.4.066-070.oar.

Feitosa FA, Reggiani MGL, Araujo RM. Removable partial or complete dentures exposed to beverages and mouthwashes: evaluation of microhardness and roughness. Rev Odontol UNESP. 2015 Aug;44(4):189-94. http://dx.doi.org/10.1590/1807-2577.0049.

Polyzois GL. Improving the adaptation of denture bases by anchorage to the casts: a comparative study. Quintessence Int. 1990 Mar;21(3):185-90. PMid:2197666.

Shibayama R, Tiossi R, Queiroz ME, Dallazan E, Campaner M. Substituição de próteses totais bimaxilares convencionais por prótese total superior e sobredentadura mandibular implantorretida com encaixes o’ring e barra clipe: relato de caso. Rev Odontol Araçatuba. 2016 Maio-Ago;37(2):15-21.
 

5a96e27c0e8825d6341db5c3 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections