Revista de Odontologia da UNESP
http://revodontolunesp.com.br/article/588019ac7f8c9d0a098b5294
Revista de Odontologia da UNESP
Congress Abstract

Efeito do chá mate (Ilex paraguariensis) na capacidade antioxidante total e na densidade mineral óssea em ratas senis

Pereira, C. S.; Tirapeli, K. G.; Brasilino, M. S.; Marques, G. C.; Crivelini, M.M.; Nakamune, A.C.M.S.

Downloads: 0
Views: 268

Resumo

O envelhecimento resulta em diminuição da defesa antioxidante total e essa redução vem sendo associada a menor densidade mineral óssea, que resulta em perda de qualidade. O tratamento com chá mate por oito semanas mostrou-se efetivo em aumentar a defesa antioxidante e reduzir danos oxidativos em diferentes tecidos de fêmeas senis, porém os efeitos na estrutura óssea precisam ser elucidados. Investigou-se o efeito do chá mate na densidade mineral óssea (DMO) e na capacidade antioxidante total (FRAP) em fêmeas senis. Fêmeas Wistar (60) com 17 meses foram divididas nos seguintes grupos: S2, S4, S6 (senil, água por gavagem durante duas, quatro ou seis semanas, respectivamente; SM2, SM4, SM6 (senil, tratada diariamente com chá mate (20mg/kg/massa corpórea/dia) durante duas, quatro ou seis semanas). Foram investigados nos fêmures a DMO (mg/cm2) por absorção de raio X de dupla energia. A capacidade antioxidante total no plasma foi determinada pelo método FRAP. Os dados (média±erro padrão) foram comparadas com teste t de Student, não pareado. O protocolo experimental foi aprovado pelo CEUA/FOA-UNESP (00462-2013). O tratamento com chá mate aumentou a DMO em 48,07% (SM2), 12,9% (SM4), 32,9% (SM6) e houve elevação da FRAP em 5,6% (SM4) e 7,75% (SM6). O chá mate eleva a defesa antioxidante plasmática e aumenta a DMO em fêmeas senis, porém os resultados são influenciados pelo tempo de tratamento.

Palavras-chave

Erva mate, estresse oxidativo, osso.
588019ac7f8c9d0a098b5294 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections