Revista de Odontologia da UNESP
ISSN 1807-2577 (Eletrônico)
Resumo de Congresso

Análise in vitro da citotoxicidade de enxaguatórios bucais: efeito do álcool na composição

Godoi, A. P. T. G.; Bohner, L. O. L.; Furtado, N. A. J. C.; Cavalheiro, A.; Catirse, A. B. C. E. B.

Resumo

A presença do álcool em alguns antissépticos tem causado grande polêmica na área odontológica, no entanto, pouco se sabe sobre a citotoxicidade do mesmo, principalmente quando comparado a outro enxaguatório sem álcool. O objetivo do trabalho foi avaliar a citotoxicidade (CT) de um enxaguatório com álcool e de outro de mesma marca comercial sem álcool em cultura celular de fibroblasto de camundongo (L929). Para o teste de CT se utilizou 20 µg dos enxaguatórios em questão para 180 µg de meio de cultura. Os grupos foram: Listerine sem álcool (G1), Listerine com álcool (G2) e, controle de células (G3). Após 30 minutos de contato das soluções com as células, elas foram colocadas em contato com o corante MTT (3-(4,5dimethyl thiazole-2yl)-2,5diphenyl tetrazolium bromide) por 4h e, a seguir, realizadas as leituras através do leitor de microplacas. Os valores em porcentagem, da quantidade de células viáveis comparado ao grupo controle de células (G3-100% de viabilidade) foram submetidos à Kruskal-Wallis (p < 0.05). Assim, a toxicidade foi, em % de células viáveis, para o Listerine sem álcool 8,28 (dp.:±0,49); o qual foi diferente estatisticamente do Listerine com álcool 11,34 (dp.:±0,12).Conclui-se que o enxaguatório sem álcool apresentou maior citotoxicidade do que o enxaguatório de mesma marca comercial com álcool.

Palavras-chave

Antissépticos bucais; citotoxicidade imunológica; alcoóis.
588019377f8c9d0a098b5034 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections