Revista de Odontologia da UNESP
http://revodontolunesp.com.br/article/588017b27f8c9d0a098b4862
Revista de Odontologia da UNESP
Original Article

A representação social do câncer bucal para os profissionais de saúde e seus pacientes

Health professionals and patients's oral cancer representation

Prieto, L.; Silva, O.M.P.; Accioly Jr., H.; Oliveira, E.F.; Blachman, I.T.

Resumo

Introdução O câncer é uma das doenças que, por um longo período, se evitou invocar pelo nome, tendo uma multiplicidade de representações investidas da sensação de morte. As representações sociais podem ser consideradas como uma expressão da realidade individual, uma exteriorização dos sentimentos e afeto, e que apóiam e revelam a realidade social. Objetivo Descrever as representações sociais do câncer bucal para profissionais da área da saúde e pacientes. Material e métodos Optou-se por uma pesquisa qualitativa baseada na teoria das representações sociais. Foram entrevistados médicos, dentistas que fazem tratamento de câncer bucal e os seus pacientes, perfazendo um total de 30 entrevistas. Resultados Os depoimentos constituíram duas classes de discurso independentes. Na classe 1 estão os discursos dos pacientes e na classe 2 os dos profissionais de saúde. Os verbos utilizados para as classes demonstraram um distanciamento dos profissionais em relação aos seus pacientes. As formas associadas ao discurso da classe 1 foram: tenho; morre, morrer, morro; vou; fé; operação, operar, operei; sei. Para a classe dois se destacam: bucal; câncer, cânceres. Conclusão A morte foi a idéia mais forte encontrada tanto no discurso dos profissionais como dos pacientes. Os pacientes possuem esperança na medicina, porém os profissionais pouco acreditam no sucesso dos tratamentos, a não ser quando encaminhados a partir de um diagnóstico precoce.

Palavras-chave

Neoplasias bucais, pesquisa sobre serviços de saúde, análise qualitativa

Abstract

Introduction The word “cancer” is very prejudiced since old times and death is the most important representation of cancer. The social representation can be considered as an expression of individual reality, an externalization of feeling and affection that support and revels the social reality. They are supported by social reality and, at the same time, reflect it. Objective The objective of this study is to describe the social representation of oral cancer to professionals of health and patients. Material e methods A qualitative research based on the theory of social representation was chosen fir this study. Doctors, dentists – who take care of oral cancer – and theirs patients were interviewed totalizing 30 interviews. Results Testimonies have constituted two classes of independent speeches. The speeches from patients are at class 1 and from professionals are at class 2. The verbs used for both classes showed a distance between health professionals and patients. The forms used by class 1 were: to have; to die; I’ll die; I’ll go; faith; surgery, to operate; I know. The forms used by class 2 were appointed by two words: oral and cancer. Conclusion Death was the strongest idea found for both classes. Patients put theirs hopes in medicine but the health professionals just believe in precocity diagnostic.

Keywords

Mouth neoplams, health services researches, qualitative analysis

References



1. Jacobs C. Head ad neck oncology. Boston: Nijhoss; 1987.

2. La Vecchia C. Epidemiology and prevention of cancer. Oral Oncol. 1997; 33: 302-12.

3. Bittencourt ME, Loureiro CA, Coimbra WH, Palmier A, Zanatta G, Paza A. Validação do Exame Clínico Meticuloso (ECM) para triagem de câncer bucal. Rev Fac Odontol Univ Passo Fundo. 2001; 6(1): 71-7.

4. Leite ICG, Koifman S. Survival analysis in a sample of oral cancer patients at a reference hospital in Rio de Janeiro, Brazil. Eur J Cancer B Oral Oncol. 1998; 34: 347-52.

5. Bertolli Filho C. Representações sociais do câncer e dos cancerosos em São Paulo: 1900-1950. Salusvita. 2002; 21(2): 83-100.

6. Kowalski ISG, Souza CP. Representações sociais de familiares e pacientes com carcinoma epidermóide de boca e orofaringe sobre prevenção e diagnóstico de câncer. Acta Oncol Bras. 2001; 21(1): 206-10.

7. Farr RS, Moscovici S. Social representations. Londres: Academic Press; 1984.

8. Oliveira DC, Moreira ASP. Estudos interdisciplinares de representação social. Goiânia: AB; 2000.

9. Abric JC. Pratiques sociales et representations. Paris: PUF ; 1994.

10. Reinert M. Alceste, une méthodologie d’analyse dês données textuelles et une application. Bull Methodol Sociol. 1996; 28: 24-54.

11. Redko CP. Alguns estereótipos na relação dos profissionais de saúde com os portadores de câncer de cabeça e pescoço. Rev Bras Cir Cabeça Pescoço. 1993; 17: 168- 74.

12. Carvalho C. Cresce incidência de câncer da boca no Brasil. Rev Bras Odontol. 2003; 60(1): 36-9.

13. Delgado GL, Araujo GN. Compreensão do médico quanto aos mecanismos de adaptação ao diagnóstico em oncologia. Rev Paul Med. 1988; 106: 123-25.

14. Ferreira NMLA. O câncer e o doente oncológico segundo a visão dos enfermeiros. Rev Bras Cancerol. 1996; 42:161-70.

15. Lopes LF, Camargo B, Furrer AA. Aspectos da humanização no tratamento de crianças na fase terminal [Página institucional]. São Paulo: Centro de Tratamento e Pesquisa do Hospital do Cancer A C Camargo, Departametno de Pediatria [citado em 2005]. Disponível em: http://www.hcanc.org.br/outrasinss/ensaios/hum1.html

16. Miceli AVP. Pré-operatório do paciente oncológico: uma visão psicológica. Rev Bras Cancerol. 1998; 44: 131-7.

17. Gordon D. Embodying illness, embodying cancer. Cult Med Psychiatry. 1990; 14: 275-97.

18. Sontag S. A doença como metáfora. Rio de Janeiro: Graal; 1984.

19. Lloyd-Williams M, Friedman T. Depression in palliative care patients – a prospective study. Eur J Cancer Care. 2001; 10: 270-4.

20. Ohaeri BM, Oladele EO, Ohaeri JU. Social support needs and adjustment of cancer patients. East Afr Med J. 2001; 78: 12641-5.
588017b27f8c9d0a098b4862 rou Articles
Links & Downloads

Rev. odontol. UNESP

Share this page
Page Sections